16 setembro 2023

Dicas de quadrinhos para leitores de Gabriel García Márquez

Por Fora do Plástico
“Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo”.
Frase de abertura de Cem Anos de Solidão

 

Gabriel García Márquez

Foi um dos grandes expoentes do realismo mágico. Vencedor do Nobel de Literatura em 1982, o colombiano permanece como uma grande referência, com obras emblemáticas, como Cem Anos de Solidão, O Amor Nos Tempos do Cólera e Crônica de uma Morte Anunciada.

Se Gabo é um dos seus autores favoritos, você vai adorar as HQs a seguir.

 

 

Sopa de Lágrimas (e as outras histórias de Palomar)

Gilbert Hernandez, publicado pela Veneta (2016)

Na Palomar de Gilbert Hernandez, cidadezinha fictícia localizada em algum canto da América Latina, tudo é possível, assim como na Macondo de Gabo. Sopa de Lágrimas, que dá início a uma série de histórias ambientadas nessa mesma localidade, exala realismo mágico, é povoada por uma infinidade de personagens, e os companha durante gerações. Impossível não se sentir em casa.

 

O grande destaque vai para as personagens femininas, determinadas, ferozes e intensas. A seleção de Sopa de Lágrimas compila as primeiras histórias lançadas na revista Love & Lockets, produzida por Gilbert ao lado de seu irmão Jaime. No Brasil, foram lançados quatro volumes com as tramas centradas em Palomar, até o momento.

Um fato curioso é que Hernandez diz não ter se inspirado em Gabo, porque não havia tido contato com sua obra, quando começou suas publicações.

“Eu não havia lido Marquez até o número 14 de Love and Rockets, quando as pessoas me disseram que eu deveria. Reconheço essas semelhanças. A única relação provável que vejo para esse diálogo talvez seja minha formação católica e latina”

Entrevista de Gilbert Hernandez site Vitralizado.

Dica extra: O Dia de Julio

Gilbert Hernandez, publicado pela Nemo (2019)

Nesta HQ o autor se propôs o desafio de contar, em 100 páginas a história de um homem comum, que viveu durante um século. Há esperança e alegria, há perseguição e luto, há guerra (muita guerra – trata-se, afinal, do século XX), há amor, há corações partidos. Difícil não se lembrar de Cem Anos de Solidão durante a leitura.

 

‣ Leia nossa opinião completa sobre Sopa de Lágrimas AQUI

 


Perramus

Juan Sasturain e Alberto Breccia, publicado pela Figura (2021)

Um homem ganha a chance de esquecer de seu passado e de sua identidade, o que o exime da culpa de abandonar os seus companheiros de luta contra a ditadura. É assim que Perramus ganha esse nome. Sasturain e Breccia criam uma história com elementos surreais, cheia referências marcantes a seu tempo, mas também elementos atemporais, além de referenciar várias figuras famosas…

Uma dessas personalidades é Gabriel García Márquez, que faz uma participação especial, em uma das melhores histórias do álbum. Nela, o escritor pede a Perramus e seus amigos que comecem uma verdadeira saga ao redor do globo, em busca dos dentes perdidos da lenda do tango Carlos Gardel.

Curiosidade: Outro nome importante do realismo mágico, Jorge Luis Borges é um dos personagens principais de Perramus.

‣ Leia nossa opinião completa sobre Perramus AQUI

 


A Grande Farsa

Carlos Trillo e Domingo Mandrafina, publicado pela Comix Zone (2020)

Ambientada em um país latino-americano em regime ditatorial, a história segue Malinche Cinturión. Conhecida como Virgem Intocada, ela é sobrinha do general que comanda o país e famosa por sua pureza que é capaz de operar milagres. Porém, a mocinha é amante do tio, que criou o mito de sua virgindade para inspirar a castidade das mulheres do país. Sendo castas, elas terão menos filhos e, com isso, menos futuros guerrilheiros para combater o regime.

Porém, além do tio, que a força em um relacionamento incestuoso e abusivo, a “falsa-virgem” também se relaciona com outros homens. Quando uma dessas aventuras é descoberta, ela precisa da ajuda do irmão de seu amante, o ex-policial Donaldo Reynoso.

Cheia de elementos noir e críticas às ditaduras que tomaram a América Latina, A Grande Farsa vai de novela a trama política, com muitas doses de realismo mágico.

Destaque para o terrível Iguana, o torturador oficial do regime, que possui toda uma aura mística e de medo (tanto que a segunda trama do álbum é completamente voltada para essa figura). Ele podia tranquilamente ser um personagem das obras de Gabo.

‣ Leia nossa opinião completa sobre A Grande Farsa AQUI

 


Gabo: Memórias de uma Vida Mágica

Felipe Camargo, Julián Naranjo, Miguel Bustos, Óscar Pantoja e Tatiana Córdoba , publicado pela Veneta (2014)

Pode ser um tanto óbvio, mas é necessário lembrar da biografia em quadrinhos de Gabo. A infância em Aracataca, a vida de estudante em meio aos tumultos políticos da Colômbia, o envolvimento com a Revolução Cubana, a criação do clássico Cem Anos de Solidão, o Prêmio Nobel e a consagração como um dos nome mais importantes da literatura do século XX.

 

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado