30 setembro 2022

Lá Fora: Iranian Love Stories

Neste Lá Fora, Cayo Costa, do @hqwishlist apresenta Iranian Love Stories, uma HQ francesa de Jane Deuxard* e Deloupy.

O nome Jane Deuxard que aparece na capa de Iranian Love Stories, ao lado do quadrinista Deloupy é, na verdade, o pseudônimo de um casal de jornalistas responsáveis pelas reportagens que servem como base para o roteiro deste quadrinho. Fingindo serem casados para poder circular normalmente nas ruas de Teerã, os dois entrevistam casais e jovens iranianos para discutir relacionamentos, sexo, liberdade e a estrutura social daquele país.

Publicado originalmente em 2016 pela Delcourt, na França, o quadrinho chegou este ano aos Estados Unidos pela Graphic Mundi. Ao todo, são dez entrevistas que revelam uma juventude, principalmente as mulheres, cada vez mais cansada do regime autoritário que comanda o país por aproximadamente 40 anos. Em 1979, a chamada Revolução Iraniana transformou o Irã, até então uma monarquia autocrática evidentemente pró-Ocidente, em uma república islâmica teocrática sob o comando do aiatolá Ruhollah Khomeini.

 

As críticas dos entrevistados são direcionadas mais ao regime do que ao próprio Islã. A HQ discute da obrigatoriedade do uso do Hijab em espaços públicos até os casamentos arranjados e o papel do homem e da mulher na sociedade iraniana.

Mas, apesar de toda a estrutura que é montada para assegurar as ordens impostas pelo regime, como as constantes rondas policiais, os agentes disfarçados entre os civis e a Patrulha de Orientação, os jovens sempre encontram um jeito de burlar as rígidas leis.

Em algumas entrevistas, a conversa ganha um caráter mais político. A violenta resposta aos protestos das últimas duas décadas, principalmente nos movimentos de 2009, dá um tom mais pesado à trama. São relatos de pessoas que perderam familiares e amigos e sofrem perseguição política até os dias de hoje.

É interessante observar as diferenças culturais e as diversas opiniões entre os próprios iranianos em relação ao regime, sua religião e ao futuro do Irã. Inclusive, a leitura está atualíssima, afinal, desde meados de setembro de 2022, protestos tomam conta do país depois do assassinato da jovem Mahsa Amini, de apenas 22 anos. Ela havia sido presa pela Patrulha de Orientação por não usar de forma apropriada o Hijab. A revolta popular pode ser uma das evidências que convergem com as opiniões dos entrevistados de Iranian Love Stories: grande parte da sociedade não suporta mais.

Protesto realizado em 23 de setembro de 2022 (Image: AFP)

 

A arte de Deloupy cumpre muito bem o seu papel, seja nas cores, no surrealismo ou na própria ambientação, que navega entre conversas calorosas em ambientes abertos até momento de tensão em situações claustrofóbicas.

Iranian Love Stories ainda é inédito no Brasil, assim como os outros quadrinhos apresentados no Lá Fora, você pode conferir outros textos dessa coluna AQUI.

Deloupy é um illustrator francês que já publicou diversos quadrinhos, entre eles o Algériennes: The Forgotten Women of the Algerian Revolution, publicado pela Penn State University Press, e Impact. Iranian Love Stories levou o Prix France em 2017.

 

 


Leia esse conteúdo no Instagram:

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado