Publicado em

Ousadas, Vol.1

De Pénélope Bagieu
144 páginas
Nemo | 2018
Tradução: Fernando Scheibe

Votar, dirigir, viajar desacompanhada… situações banais da modernidade que eram impossíveis para muitas mulheres há algumas décadas. Tudo isso só foi possível por causa de mulheres que desafiaram as imposições de seu tempo para tomar suas próprias atitudes. Em Ousadas: Mulheres que só fazem o que querem, obra de Pénélope Bagieu, podemos conhecer a história de personalidades pouco usuais, mas que fizeram a diferença em seu tempo, seja numa escala micro ou macro.

Com um tom didático e irreverente, Bagieu nos conduz em histórias curtas, bem amarradas, que fazem o papel de um rápido passeio biográfico a cada capítulo. Assim, somos apresentados a Agnodice, ginecologista da Grécia Antiga, que precisou se vestir de homem para exercer a profissão, às Irmãs Mirabal, que lutaram contra a ditadura na república Dominicana ou Nzinga, a rainha africana que enfrentou os colonizadores portugueses.

Além da narrativa leve, a autora utiliza uma linguagem que encaixa perfeitamente com o visual da obra também alegre e divertido, com muitas cores e traços caricatos. Dessa forma, a HQ se torna uma ótima pedida para presentear leitores que ainda não estão habituados aos quadrinhos.

Para nós o grande encanto de Ousadas é perceber que algumas daquelas mulheres, mesmo sem feitos extraordinários, demonstraram o poder feminino em lutar por aquilo que acreditavam. Embora já tenhamos alcançado alguns avanços, os dados ainda são alarmantes para as diferenças entre gêneros e é exatamente por isso que obras como Ousadas são verdadeiras ferramentas. Estamos curiosos para saber quais grandes mulheres iremos conhecer no próximo volume!

Publicado em

Ousadas, Vol.2

De Pénélope Bagieu
168 páginas
Nemo | 2020
Tradução: Renata Silveira

Ousadas é uma série em quadrinhos necessária. Em tempos de reflexão sobre o poder feminino, nada melhor do que conhecer a história de mulheres que desafiaram as amarras de seu tempo. Neste segundo volume, Pénélope Bagieu traz novamente 15 novas heroínas e suas lutas, angústias, desafios e superações.

Assim como na edição anterior, o formato didático como as mini biografias são narradas é o ponto alto do quadrinho. É como se ouvíssemos histórias de amigas íntimas, relatos leves, mas que não deixam de lado o impacto das ações dessas mulheres no universo em que viviam. É por meio de histórias como o da vida da jornalista Nellie Bly, de Phoolan Devi, a rainha dos bandidos, ou da incrível atriz Hedy Lamarr (que também foi a inventora precursora da tecnologia que possibilitou a criação do Wi-Fi e do GPS) que relembramos a importância da luta feminina.

Na arte Bagieu utiliza traços estilizados e muitas cores para criar ilustrações que facilitam a compreensão da obra. A interação entre arte e roteiro é muito bem executada, com destaque para inserções de notas de pensamento nos desenhos, que deixam a leitura ainda mais divertida.

Ousadas é uma HQ para todas as idades, que poderia ser adotada didaticamente. Reforçar o empoderamento feminino, principalmente por meio de uma leitura tão acessível é essencial. Precisamos propagar as memórias dessas mulheres, afinal, caso elas não tivessem tomado as rédeas de suas vidas, o mundo seria bem diferente hoje.