9 quadrinhos com grandes escritores como personagens

Howard Phillips Lovecraft foi um menino estranho, propenso a desvairados voos de fantasia e uma predileção pelas trevas.
O quadrinho é um conto de horror biográfico, que reimagina a vida de H.P. Lovecraft, da sua infância excêntrica até seu sucesso literário. Um olhar curioso sobre a imaginação do autor e as inspirações de suas obras, como se todos os personagens assustadores que criou fossem reais e não inventados.

F. Scott Fitzgerald, Zelda Fitzgerald, Ernest Hemingway, Ezra Pound e James Joyce, grandes nomes da literatura e membros da chamada Geração Perdida protagonizam A Gangue da Margem Esquerda. Convivendo entre cafés e livrarias, em Paris, os amigos discutem diferentes temas, mas principalmente suas experiências na profissão. A diferença é que Jason os torna quadrinistas, em vez de escritores. E são as dificuldades financeiras de quem faz quadrinhos para viver que se tornam o estopim para uma ideia e corajosa e insana de Hemingway.

Uma trajetória do escritor colombiano em forma de quadrinhos, a obra narra os principais acontecimentos da vida do autor. A infância em Aracataca, a fase de estudante, em meio aos tumultos políticos da Colômbia do fim da década de 1940, o envolvimento com a Revolução Cubana, a criação do clássico Cem Anos de Solidão, o Prêmio Nobel de 1982 e sua consagração são alguns dos fatos recontados nessa biografia.

Em 1903: Orwell, além dos grandes feitos do autor, conhecido sobretudo por ter escrito dois clássicos da literatura, 1984 e A Revolução dos Bichos, descobrimos também sua história de vida. Pierre Christin e Sébastien Verdier se munem de uma gigantesca pesquisa histórica e literária a respeito da obra do biografado para reconstituírem não apenas os fatos mais conhecidos de sua vida e época, como também detalhes mais intimistas que o aproximam de qualquer um de nós.

Com uma carreira premiada, como jornalista e escritora, Eliane Brum resolveu se aprofundar em sua relação com a Amazônia, criando a Sumaúma – Jornalismo do Centro do Mundo, direto de Altamira, no Pará, onde hoje vive. É dessa casa no meio da floresta que a jornalista abre as portas para Pablito Aguiar, e para nós leitores, na HQ Almoço. Uma oportunidade de conhecer a Eliane que mora por trás da profissional e como esses aspectos mais íntimos influenciam seu trabalho.

A partir de várias fontes, a autora de Degenerado tece um retrato de Céleste Albaret que foi governanta, secretária, e amiga do romancista Marcel Proust. A obra que terá dois volumes, desvenda a relação entre os dois, construída ao longo de 8 anos (até a morte de Proust), além dos aspectos mais íntimos da vida dele.

A HQ conta de forma alternativa parte da vida e obra do poeta, convidando o leitor a conhecer fatos históricos reais, desde o seu nascimento, articulando-os com um mundo sobrenatural, idealizado pelos autores. Nesta história, Fernando Pessoa pertence a uma sociedade secreta que tem como objetivo salvar a sociedade portuguesa de um mal. Essas obrigações, no entanto, forçam-no a tomar decisões difíceis que darão origem à sua afamada heteronímia.

Um homem ganha a chance de esquecer de seu passado e de sua identidade, o que o exime da culpa de abandonar os seus companheiros de luta contra a ditadura. É assim que Perramus ganha esse nome. Sasturain e Breccia entrelaçam na jornada de seu protagonista sem memória alegorias para a situação política da Argentina e tomam emprestado o nome e as feições de personalidades como Jorge Luis Borges (que é uma figura fundamental para a trama), Fidel Castro, Frank Sinatra e Gabriel García Márquez.

Uma jornada visual através da vida e da obra de Franz Kafka, um dos mais misteriosos e idiossincráticos autores de todos os tempos. Com texto de David Mairowitz e ilustrações de Robert Crumb, a HQ nos ajuda a ver além do clichê ‘kafkiano’ e a observar, através da parede de vidro, a criatura única ali exposta.

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado