7 setembro 2022

Os 10 melhores quadrinhos asiáticos, por Paul Gravett

Por Fora do Plástico

Em 2017, uma das maiores autoridades dos quadrinhos, o jornalista e pesquisador Paul Gravett publicou o livro teórico “Mangasia”, no qual além de traçar toda evolução do mangá desde suas raízes no Japão do final do século XIX até as muitas e variadas formas de quadrinho criados em toda a Ásia por mais de cem anos, ele também lista dez dos melhores mangás e quadrinhos asiáticos (disponíveis em inglês), até aquele ano.  Confira a seguir a lista elaborada por ele.

 

10. Pages to Pages

Lai Tat Tat Wing | Hong Kong (Inédito no Brasil)

Nesta HQ, visuais surreais satirizam a batalha entre quadrinhos digitais e de papel.

 

 


9. O Menino do Kampung

Lat | Malásia (Publicado no Brasil em 2006, pela Conrad)

Uma obra autobiográfica que reconta a infância do autor, nos anos 50. Um retorno a uma época que parece perdida – a rotina pacata do campo, as velhas tradições passadas de pai para filho, os banhos de rio, as pescarias, os estudos do Alcorão, o universo dos meninos e suas brincadeiras.

 


8. Comfortably Happy

Yeon-Sik Hong | Coreia do Sul (Inédito no Brasil)

Uncomfortably Happily explora a mudança de Yeon-Sik Hong e sua esposa, que deixaram Seul para viver numa pequena casa na zona rural. A vida simples e o isolamento que tão desesperadamente ansiavam passam a apresentar novas angústias.

 


7. Uma Vida Chinesa

3 VOLUMES  •  Philippe Otié & Li Kunwu | China (Publicado no Brasil pela WMF Martins Fontes)

Relato autobiográfico, em três volumes, que retrata uma incrível jornada na história moderna, desde a criação da República Popular da China, em 1949, até os dias de hoje.

 


6. A Bride’s Story

16 VOLUMES (em andamento)  • Kaoru Mori | Japão (Inédito no Brasil)

Amir Halgal é uma jovem de uma tribo nômade prometida a um menino de doze anos. Lidando com diferenças culturais, sentimentos florescentes por seu marido e expectativas, Amir se esforça para encontrar seu papel, enquanto se estabelece em uma nova vida, numa sociedade ávida para definir esse papel por ela.

 


5. Elmer

Gerry Alanguilan | Filipinas (Inédito no Brasil)

O que aconteceria se todas as galinhas do mundo se tornassem inteligentes e adquirissem consciência dos humanos? Por trás de um conceito absurdo, Alaguilan faz uma alegoria para abordar preconceitos.

 


4. A Arte de Charlie Chan Hock Chye

Sonny Liew | Singapura (Publicado no Brasil pela Pipoca & Nanquim)

Sonny Liew traça, ao longo das décadas, a vida e a evolução artística do protagonista. Em paralelo a isso, Liew descreve trechos da história de Singapura. Da dominação inglesa à independência, do pequeno território rural a grande potência tecnológica.

 


3. River of Stories

Orijit Sen | Índia (Inédito no Brasil)

A HQ trata das lutas do povo Adivasi envolvido na Narmada Bachao Andolan, movimento civil que protestou contra o deslocamento de milhões de pessoas devido à construção de uma barragem no rio Narmada. A história passa por questões ambientais, sociais e políticas em torno dessa construção.

 


2. O Homem Sem Talento

Yoshiharu Tsuge | Japão (Publicado no Brasil pela Veneta)

O protagonista, alter-ego do autor, é um mangaká que se recusa a comprometer seu trabalho e ceder às pressões da indústria editorial. Ele parece determinado a tornar sua vida uma estranha ode ao fracasso, vendendo pedras retiradas de um rio perto de sua casa. Pedras que ninguém parece ter interesse em comprar.

 


1. Ayako

Osamu Tezuka | Japão (Publicado no Brasil pela Veneta)

Jiro Tenge, filho de uma família aristocrática, volta para casa depois de passar anos como prisioneiro dos americanos durante a Segunda Guerra Mundial. Ele descobre então um terrível segredo envolvendo seu pai, seu irmão mais velho e sua cunhada. Mas Jiro também tem seu próprio segredo. E todos decidem que a filha mais nova, a pequena Ayako, é quem pagará pelos pecados da família.

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado