[Especial]

Fauve D’Or: Veja quais são os quadrinhos vencedores do Festival de Angoulême

20 abril 2024
Por Fora do Plástico


Quando falamos de Angoulême, podemos nos referir ao tradicional festival que acontece na cidade de mesmo nome, na França, ou à premiação que é realizada durante o evento. Entre os vários troféus e categorias do Angoulême, o Fauve D’Or se destaca: é ele que premia o melhor álbum do ano.

O Fauve D’Or é entregue desde 1976, só que, desde 2002, ele premia apenas um quadrinho. Durante anos, o festival concedeu o prêmio a uma publicação francesa e outra estrangeira. Por isso, fizemos esse recorte, elencando todos os vencedores desde 2002.

 

2002 – Isaac, O Pirata, de Christophe Blain*

Publicado no Brasil pela Conrad

Isaac é um pintor com pouco dinheiro no bolso, mas bastante promissor. Aos poucos, ele vai se endireitando na vida, o que permite que nutra esperanças de se casar com a noiva, Alice, com quem namora desde os 16 anos. Um dia, o desavisado artista recebe uma proposta tentadora de ir ao litoral para pintar uma marina e, de quebra, levar uns bons trocados. Mas o problema é que, quando se dá conta, está a bordo de um navio pirata que ruma para a América.

*”Les Amériques”: A história vencedora do prêmio está compilada na edição brasileira.

 

2003 – Jimmy Corrigan: O Menino Mais Esperto do Mundo,  de Chris Ware

Publicado no Brasil pela Quadrinhos na Cia.

Uma saga familiar de quatro gerações, um retrato amargo da timidez e as relações claustrofóbicas entre parentes são o centro deste livro, uma das mais importantes graphic novels já publicadas em toda a história do gênero.

 


2004 – O Combate Cotidiano, de Manu Larcenet*

Publicado no Brasil pela Pipoca & Nanquim

Marco é um jovem fotógrafo de guerra que, cansado de registrar horrores, decide dar um tempo no trabalho e troca a cidade grande pelo campo, com o intuito de fazer as pazes consigo mesmo e com o mundo. Entre visitas esporádicas ao irmão caçula, aos pais idosos, à veterinária de seu gato e aos amigos de um velho estaleiro, Marco vive uma história comovente e profundamente humana, que propõe uma reflexão tocante sobre amadurecimento, autoaceitação e as pequenas coisas da vida, com muitas doses de humor, introspecção e sensibilidade.

*O volume 1, que venceu o prêmio, está compilado na edição definitiva brasileira.

 

2005 – Frango com Ameixas, de Marjane Satrapi

Publicado no Brasil pela Quadrinhos na Cia.

Se em Persépolis Marjane Satrapi empreendeu um relato autobiográfico, em Frango com Ameixas não é sua própria vida que está em foco, mas a de seu tio. Artista como ela, Nasser Ali começa a narrativa com uma tragédia pessoal: durante uma briga, sua mulher destruiu o antigo e precioso tar (um instrumento de cordas da tradição persa) que o celebrizara como um dos maiores músicos do país. A procura por um novo tar o leva a conflitos com a família, com os amigos e com sua própria identidade de artista.

 


2006 – Notes pour une histoire de guerre, de Gipi

Inédito no Brasil

Contada do ponto de vista do protagonista Giuliano, o quadrinho apresenta um país em guerra, enquanto o garoto enfrenta uma luta mortal diária para encontrar comida e abrigo, evitando as ocasionais balas perdidas. Ao se juntar a Felix, um chefão do crime desprezível, Giuliano e seus amigos logo passam a servir como parte do esquema de extorsão de Felix e mais tarde sobem na cadeia alimentar do submundo, em empreendimentos em uma cidade afastada das adversidades da guerra, onde pequenos crimes se transformam em assassinatos. 

 


2007 – Nonnonba, de Shigeru Mizuki

Publicado no Brasil pela Devir

Parte biográfico, parte fantástico, “NonNonBa” é um trabalho tocante sobre a infância e o amadurecimento, inspirado em grande parte no próprio Mizuki, quando criança, e sua avó, uma fonte inesgotável de conhecimento sobre os youkais (espíritos-monstros do folclore japonês).

 

2008 – A Chegada, de Shaun Tan

Publicado no Brasil pela SM

A obra experimental narra as peripécias de um homem, separado de sua esposa e filha, chegando a uma terra totalmente estranha, à qual terá de se adaptar. Ali buscará moradia, sustento e condições para trazer a família para junto de si. Conhecerá também a história de outras pessoas que, como ele, tiveram de recomeçar a vida após um doloroso processo de desenraizamento.

 


2009 – Pinóquio, de Winshluss

Publicado no Brasil pela Moby Dick

Nesta versão sombria e perturbadora, Gepeto constrói Pinóquio como uma arma metálica de guerra para uso militar. Contada em sua maior parte apenas por meio de imagens, acompanhamos o caminho de Pinóquio através de diversas histórias que se entrelaçam em meio à violência, corrupção e crueldade.

 


2010 – Pascal Brutal, Vol.3, de Riad Sattouf

Inédito no Brasil

Um pequeno cavanhaque bem cortado, uma pulseira Adidas Torsion modelo 1992 em excepcional estado de conservação. Este é Pascal Brutal. Mais forte que o mais forte, o homem absoluto, a virilidade encarnada. Riad Sattouf consegue a proeza de ser ao mesmo tempo sombrio, na sua desastrosa descrição de um futuro presidido pelo político ultra-liberal francês Alain Madelin, e irresistivelmente engraçado.

 

2011 – Cinco Mil Quilômetros por Segundo, de Manuele Fior

Publicado no Brasil pela Devir

“Cinco Mil Quilômetros por Segundo” conta – ou quase conta – a história de amor de Piero e Lucia, que começou com uma troca de olhares casual entre dois adolescentes e termina com um encontro desesperado de dois ex-namorados agora mais velhos… e mais tristes.

 


2012 – Crônicas de Jerusalém, de Guy Delisle

Publicado no Brasil pela Zarabatana Books

Guy Delisle nos dá sua visão crítica e bem-humorada sobre o dia a dia de uma região que está permanentemente nas manchetes dos jornais. Local sagrado para judeus, muçulmanos e cristãos, Jerusalém está no centro do conflito israelense-palestino, e o autor percorre este território com sua mulher – que trabalha para a organização Médicos Sem Fronteiras – e seus dois filhos, narrando suas experiências cotidianas e observações sobre a política, a religião e o relacionamento humano.

 


2013 – Quai d’Orsay, Vol.2, de Christophe Blain e Abel Lanzac

Inédito no Brasil

A vida no Quai d’Orsay continua, e Arthur Vlaminck, o jovem redator de discursos, ainda está preso a uma existência estressante, que não sabe se ama ou odeia, cercado pelos mais diversos personagens políticos. Nesta ocasião, o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Alexandre Taillard de Vorms, terá de enfrentar uma crise global causada pela vontade dos Estados Unidos de entrar em guerra com um pequeno país do Médio Oriente. O seu discurso na ONU pode mudar o rumo da história, mas será o que acontece nos corredores que acabará por ser decisivo.

 

2014 – Como Antes, de Alfred

Publicado no Brasil pela Devir

No início dos anos 60, os irmãos Fabio e Giovanni estão prestes a iniciar uma longa jornada. Dentro de um Fiat 500, o caminho será pontuado por discussões amargas, longos períodos de silêncio, lembranças e encontros, e os levará de volta a sua terra natal, a Itália – um lugar que Fabio não visita há anos. Aos poucos, descobrimos quem foi o pai deles, como é difícil a relação entre os membros da família e como o fascismo os dividiu.

 

2015 – O Árabe do Futuro, Vol.1, de Riad Sattouf

Publicado no Brasil pela Intrínseca

Nascido na França em 1978, filho de pai sírio e mãe bretã, Riad Sattouf viveu uma infância peculiar. Ele tinha apenas três anos quando o pai recebeu um convite para lecionar em uma universidade da Líbia. Em Trípoli, o menino entrou em contato com uma cultura completamente distinta e precisou superar o estranhamento diante de novos costumes ― experiência que se repetiria pouco depois na Síria, quando o pai foi trabalhar lá. Com o olhar inocente de uma criança, Riad oferece um importante relato sobre os contrastes entre a vida na França, na Líbia e na Síria.

 

2016 – Aqui, de Richard McGuire

Quadrinhos na Cia.

Aqui conta a história de um canto de uma casa, e o que aconteceu ali durante centenas de milhares de anos. Dramático, cômico e amplamente inovador, é o testemunho não apenas de um grande artista no auge de sua forma, mas também das possibilidades infinitas da linguagem dos quadrinhos.

 

2017 – Paysage après la bataille, de Éric Lambé e Philippe de Pierpont

Inédito no Brasil

O rádio do carro toca “Blackbird”, Fanny dirige em direção ao seu refúgio final, um acampamento/caravana sob a neve. Lá, com a ajuda dos últimos habitantes do local, ela tentará afugentar seus pássaros pretos e tratar seus ferimentos.

 


2018 – La Saga de Grimr, de Jérémie Moreau

Inédito no Brasil

1783. A Islândia, oprimida pela pobreza, ainda deve submeter-se ao jugo da Dinamarca. E o destino de Grimr, que ficou órfão, é ainda mais cruel neste país onde um homem é definido antes de tudo pela sua linhagem. Dotado de uma força impressionante, ele sabe que é capaz de competir com os heróis mais famosos mesmo não sendo filho de ninguém. Tudo o que ele precisa é de uma oportunidade para provar o seu valor…

 

2019 – Minha Coisa Favorita é Monstro, Vol.1, de Emil Ferris

Publicado no Brasil pela Quadrinhos na Cia.

Quando Karen Reyes, uma garota de dez anos completamente alucinada por histórias de terror, tenta desvendar o assassinato de sua bela e enigmática vizinha do andar de cima — Anka Silverberg, uma sobrevivente do Holocausto — assistimos ao desenrolar de histórias fascinantes de um elenco bizarro e sombrio de personagens.

 

 

2020 – Révolution, Vol.1, de Florent Grouazel e Younn Locard

Inédito no Brasil

Primeiro volume de “Revolução”, uma trilogia sobre a Revolução Francesa, “Liberté” ressuscita 1789 vagando por todos os níveis da sociedade. Um afresco grandioso, misturando vários personagens e que totalizará quase 1000 páginas, ao longo de seus volumes.

 


2021 – Uma História Real de Crime & Poesia, de David L. Carlson e Landis Blair

Publicado no Brasil pela DarkSide Books

“Você nunca será livre até que você se liberte da prisão em sua mente”, assim começa a premiada graphic novel de David L. Carlson e Landis Blair. Uma combinação perfeita de palavras e imagens que são usadas para nos contar a história de um pai cego, um filho órfão e sua conexão com o crime do século.

 

2022 – Escuta, Formosa Márcia, de Marcello Quintanilha

Publicado no Brasil pela Veneta

Mãe solteira, nascida e criada em uma comunidade do Estado do Rio, a enfermeira Márcia vem travando uma verdadeira batalha doméstica para disciplinar sua filha, a insubordinada Jaqueline. Porém, quando a jovem se vê envolvida até o pescoço com o crime organizado, Márcia estará disposta a chegar às últimas consequências para livrá-la dessa enrascada. Quer Jaqueline queira, quer não.

 


2023 – La Couleur des choses, de Martin Panchaud

Inédito no Brasil

Simon, um garoto inglês de 14 anos, é constantemente ridicularizado pelos jovens de sua vizinhança e é recrutado para todos os tipos de tarefas. Um dia, quando ele vai às compras para uma cartomante, ela lhe revela quem serão os vencedores da prestigiada corrida de cavalos Royal Ascot. Simon então aposta secretamente todas as economias de seu pai em um único cavalo e ganha mais de 16 milhões de libras. Mas quando volta para casa, Simon encontra sua mãe em coma e a polícia conta que seu pai desapareceu. Por ser menor de idade, Simon não pode sacar o dinheiro que ganhou. Para fazer isso e descobrir o que aconteceu com sua mãe, ele definitivamente  precisa encontrar seu pai.

 

2024 – Monica, de Daniel Clowes

Publicado no Brasil pela Nemo

Monica é uma série de narrativas interconectadas que contam a história de vida – histórias, na verdade – de sua personagem principal. Criada por seus avós, ela se torna uma empresária de sucesso, mas deixa a carreira para descobrir a verdade sobre o abandono de sua mãe, Penny, e os segredos do culto misterioso ao qual ela pode ter se juntado, quando Monica era pequena.

 

Gostou da leitura? Ajude o Fora do Plástico

Você não precisa de muito para contribuir com o Fora do Plástico. A partir de R$5,00 mensais, ou seja, um cafezinho, você já está nos ajudando a manter o Fora Plástico.
Quero Apoiar
Carrinho atualizado