17 setembro 2022

CWB

Por Fora do Plástico

De José Aguiar
124 páginas
Independente | 2020

Em CWB, José Aguiar convida o leitor para uma viagem belíssima e surreal por Curitiba. O autor explora uma história em que o leitor precisa participar e desvendar os delírios de duas histórias que se encontram. Explicamos melhor: a HQ possui duas ordens de leitura simultâneas. Isso mesmo, dá para começar a ler CWB de frente para trás ou de trás para frente.

E nesse exercício de percorrer a HQ, o leitor se torna um cúmplice da aventura cheia de múltiplas interpretações proposta por José Aguiar. No início, pode ser até complicado tentar entender onde a história quer nos levar. Mas há ali pontos e conexões que mostram que o autor fez tudo de uma forma bem organizada. A capital do Paraná não é representada aqui no seu sentido literal. A viagem proposta pelo autor é pelos arquétipos, pelos signos que compõem o imaginário do que é Curitiba. Há muitas referências, que podem não ser fisgadas por quem não conhece a cidade. Mas imaginamos que para os curitibanos ou para os paranaenses, os detalhes (como estátuas que ganham vida, ônibus vermelhos e espaços públicos) tornam a obra ainda mais interessante. Alguns elementos da obra são explicados pelo autor no prefácio, o que nos ajudou a desvendar algumas cenas.

A narrativa é inventiva, sem balões, conduzindo o leitor somente com a ação desenfreada dos protagonistas. Os pontos de encontro entre as duas histórias são muito poéticos e a arte é linda, com destaque especial para a paleta de cores (que em muitos momentos muda conforme a situação da história).

Como dois mineiros, nossa relação com Curitiba é bem distante. Porém, a experiência sensorial que CWB nos deixou com aquela vontade de conhecer mais a cidade e viver de perto cada uma daquelas referências.

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado