15 setembro 2022

Coringa: Um Sorriso de Matar

Por Fora do Plástico

De Jeff Lemire, Andrea Sorrentino e Jordie Bellaire
144 páginas
Panini Comics | 2020
Tradução: Érico Assis

Com uma premissa um tanto batida, mesmo vindo de um autor como Jeff Lemire, Coringa: Um Sorriso de Matar é um quadrinho previsível e morno. A trama até consegue prender o leitor pela condução do thriller psicológico, mas, ao final, o resultado é uma obra que não vai além daquilo que já vimos do vilão.

O roteiro é bem simples. O Coringa está preso no Asilo Arkham e um psiquiatra o visita frequentemente para entrevistá-lo. O intuito é entender o que se passa na cabeça do vilão para curá-lo, mas, como era de se esperar, o médico acaba percebendo que nada é o que parece. A HQ é de leitura rápida, com um bom ritmo. Dividida em quatro partes, sendo que as três primeiras fazem parte de um arco fechado, o gibi traz um spin-off que é o ponto mais fraco da trama.

A arte do Andrea Sorrentino é boa, gostamos bastante de seu estilo. No entanto, o artista usa sempre os mesmos painéis de outras HQs em que trabalha, por exemplo, Gideon Falls. O que, para nós, tira um pouco da identidade da obra e a torna ainda menos memorável.

Coringa: Um Sorriso de Matar não é uma leitura ruim, porém recomendamos ir sem grandes expectativas, afinal, Jeff Lemire cria uma história que não acrescenta muita coisa ao que já vimos do personagem.

Não perca nada

Siga nossas redes

Carrinho atualizado