Publicado em

The Black Monday Murders, Vol.1

De Jonathan Hickman e Tomm Coker
240 páginas
Devir | 2019
Tradução: Marquito Maia

The Black Monday Murders, de Jonathan Hickman, é uma leitura que depende muito do leitor. É indiscutível que o autor não nos subestima com seu modo de contar a história e que visualmente a obra atrai muito a atenção. No entanto, esta não é uma leitura fácil. Com um roteiro peculiar, Hickman não tem pressa de explicar sequer os fatos mais simples neste primeiro volume, deixando a trama muito em aberto. Porém, a sua maneira de conduzir de forma intrigante a história, nos deixou curiosos para saber o desenrolar.

De forma bem elaborada, a HQ acompanha uma conspiração que adquire cada vez mais poder através de sacrifícios humanos. Agora, após um dos importantes membros ser encontrado morto, um detetive começa a desvendar os segredos por trás desse grupo.

Com boas doses de misticismo, violência e magia, Hickman insere uma quantidade enorme de informações, sem se preocupar com a compreensão dos leitores. Ao mesmo tempo em que essa tática de oferecer respostas em migalhas na narrativa, nos cativou, acreditamos que é uma estratégia que afasta muitos leitores, uma vez que pode ser cansativa. Um ponto que não gostamos é o fato de não haver na HQ nenhum personagem carismático, para o qual leitor torça ou realmente goste dele. Já arte de Tomm Coker é belíssima, um absurdo! Além disso, ela aquece muito o clima de suspense da história.

Mesmo sendo um quadrinho difícil de absorver, o primeiro volume The Black Monday Murders foi uma leitura que nos agradou, muito pelo clima de mistério que a cerca. Mas, aqui vai um aviso, não é uma HQ para todos, não recomendamos aos leitores mais impacientes. Por fim, precisamos dizer que estamos ansiosos para a continuação da série.

Publicado em

The Black Monday Murders, Vol.2

De Jonathan Hickman e Tomm Coker
192 páginas
Devir | 2020
Tradução: Marquito Maia

Intrigante, com uma atmosfera de suspense muito bem produzida, mas com um o desenvolvimento difícil e lento. Assim é a série The Black Monday Murders, que em seu segundo volume traz ainda mais informações que, ao mesmo tempo que dificultam a compreensão do leitor, moldam uma trama complexa que vai se conectando aos poucos, como um quebra-cabeças.⁣

Nesta edição a história de Jonathan Hickman evolui pouco em relação ao volume anterior. Dane segue para Washington para tentar desvendar todos os mistérios que cercam a investigação da morte de Daniel Rothschild. Nesta edição o autor insere novas subtramas ao universo da magia negra. É preciso que o leitor preste muita atenção aos detalhes, que se atente a cada quadro, porque uma mínima informação é importante para a história e pode fazer a diferença, lá na frente.

Confessamos, é difícil digerir, é difícil entender. Muito difícil. Revisitamos as páginas várias e várias vezes para compreender situações e não cravamos se entendemos ao certo. O suspense prende e a arte de Tomm Coker é ótima, mas não conseguimos afirmar se absorvemos a história até o momento. Só sabemos que estamos curiosos para acompanhar o desenrolar da trama. ⁣

Com paciência e atenção, The Black Monday Murders, publicado pela editora Devir, se faz uma leitura muito boa. Difícil, mas muito boa. Nesta série o leitor não pode se preocupar com respostas imediatas, ele precisa confiar na trama que Hickman está desenvolvendo lentamente.⁣