Publicado em

Sweet Tooth

De Jeff Lemire e José Villarrubia
Vol. 1 296 páginas / Vol. 2 304 páginas / Vol.3 368 páginas
Panini Comics | 2021
Tradução: Érico Assis e Fabiano Denardin

Ao longo dos três volumes de Sweet Tooth acompanhamos o vínculo crescente entre o menino-híbrido Gus e o carrancudo Jepperd, em um mundo marcado pela deterioração das relações humanas. Após um vírus letal dizimar bilhões, o que restou da humanidade são pessoas inseguras, desconfiadas, lutando para sobreviver. Com seus chifres de veado e corpo de criança, o protagonista traz uma aura de inocência para este mundo corrompido.

Com a evolução da série, vemos Gus se deparar com esse cenário desolador, enfrentar perigos ao lado de outros híbridos como ele e desenvolver laços afetivos com humanos, como é o caso de Jepperd. Sweet Tooth é sobre a esperança que Jepperd recupera ao encontrar a criança-veado. Ao mesmo tempo, é sobre a crueldade humana em cenários inóspitos, temática comum em histórias pós-apocalípticas.

Lemire consegue nos deixar envolvidos a cada volume, encaixando arcos e personagens de forma estratégica, como é o caso do doutor Dr. Singh, a corajosa Lucy e os irmãos opostos Johnny e Douglas Abbot. O resultado é uma série que praticamente não perde fôlego em momento algum. O fio condutor da história é sempre claro, ao passo que as subtramas são importantes para desenvolver aqueles personagens.

Embora a arte de Jeff Lemire não seja o ponto forte da obra, seus desenhos são funcionais. Já as cores de José Villarrubia valorizam a atmosfera fria e pós-apocalíptica da HQ. Ao final de todos os três volumes há extras com pin-ups de outros artistas, esboços de Lemire e, no terceiro, há também uma entrevista com ele.

Sweet Tooth é uma jornada prazerosa, bem ritmada e que se mantém intensa do início ao fim. Jeff Lemire consegue trabalhar bem conceitos já desgastados das histórias do gênero, caindo poucas vezes no clichê. Além disso, nos afeiçoamos a seus personagens e conseguimos notar ao longo de toda a série sua mensagem transparente. Uma mensagem de esperança, de respeito e de cuidado, com o outro e com o planeta.