Publicado em

Sabrina

De Nick Drnaso
208 páginas
Veneta | 2020
Tradução: Érico Assis

Sabrina, de Nick Drnaso, é uma obra extremamente interessante por dialogar muito sobre a nossa realidade, fazendo uma crítica social bem afiada, através de temas como fake news, disseminação de conteúdos impróprios pela internet, teorias da conspiração e espetacularização da violência.

Com uma trama que gira em torno dos desdobramentos do desaparecimento da personagem que dá nome à obra, Drnaso cria uma graphic novel inteligente que fisga rapidamente o leitor. Ao longo das páginas, criamos inúmeras hipóteses e também refletimos sobre a realidade mostrada ali, que está mais próxima do que imaginamos. Para alcançar este resultado, o autor investe no roteiro angustiante, moderno e uma diagramação que dá ritmo a leitura. A estratégia de Drnaso é simples, eficaz e funciona muito bem na primeira metade, ao ponto em que, no decorrer da leitura, cravamos que essa HQ certamente estaria entre as melhores do ano.⁣

 

No entanto, ao passar da primeira metade, sentimos que o autor se alonga demais na história, deixando a experiência de leitura um pouco cansativa. Entendemos que essa foi uma escolha opcional e que esta é uma obra muito mais focada na jornada do que no destino, mas acreditamos que essa extensão do roteiro acaba enfraquecendo o peso inicial da obra. Quanto ao traço de Drnaso, certamente está longe de ser o dos mais bonitos, mas não chega a ser um problema, achamos que cumpre bem pelo estilo da HQ.⁣

Além disso, Sabrina conta um final pretensioso que quebra todas as expectativas do leitor. Mesmo não tendo funcionado para nós, certamente o final aberto vai agradar alguns leitores. Embora tenhamos esses apontamentos, não podemos deixar de destacar como essa obra fala tão bem com a nossa geração. Mas o gosto que fica é que poderia ser, para a gente, ainda mais memorável.⁣