Publicado em

Os Anos Allende

De Carlos Reyes e Rodrigo Egueta
128 páginas
Zarabatana Books | 2021
Tradução: Claudio R. Martini

Lançamento da editora Zarabatana, Os Anos Allende, de Carlos Reyes e Rodrigo Egueta apresenta um panorama bastante completo do período político que o Chile viveu entre 1970 e 1973. O roteiro tem como ponto de partida a chegada de John Nitsch, um correspondente norte-americano, a Santiago, às vésperas da eleição que tornaria Salvador Allende o presidente do país. A partir disso, acompanhamos, por meio das apurações do jornalista, todos os conflitos internos chilenos e também a força da influência norte-americana no golpe de Pinochet, que instauraria uma sangrenta ditadura de 17 anos.

A HQ utiliza muitos dados e documentos para costurar os eventos ao longo de três anos. É inegável o trabalho intenso de pesquisa de Reyes na construção da HQ. Cartazes, fotografias, capas de jornais e até histórias em quadrinhos são reproduzidos à perfeição. No entanto, este é o maior triunfo e o maior problema de Os Anos de Allende. Ao mesmo tempo em que a trama se mostra profunda, não poupando dados e fontes para detalhar os acontecimentos, ela pode cansar o leitor por este mesmo motivo.

A figura de John Nitsch é pouco usada, mesmo que ele seja nosso narrador. É como se o personagem fosse engolido por todos os fatos que são encadeados. Isso torna o quadrinho mais documental, mais histórico, e menos uma trama ficcional envolvendo fatos.

A arte de Rodrigo Egueta, toda em aguadas, é bastante funcional para a trama e se torna um ponto de leveza em meio às muitas informações que o roteiro traz. Destaque para a ambientação e para a precisão com a qual são retratadas as figuras históricas.

Para leitores apaixonados por história, que se interessam pelas questões políticas latino-americanas, Os Anos Allende é um ótimo quadrinho. Uma construção de fatos muito bem-feita, com tom documental, que mostra a marcante figura de Salvador Allende e o Chile que ele propôs, mas que não pôde construir por completo.