Publicado em

Rockabilly Blues

De Gustavo Novaes
142 páginas
Outside.co | 2022

Escrita e desenhada por Gustavo Novaes, co-autor de A Cabana, Rockabilly Blues se inicia de forma aparentemente comum, com uma investigação sobre um assassinato. Mas é no desenrolar da história que Gustavo dá rumos mais intensos e dramáticos para o quadrinho, que entrega um suspense policial com fundo histórico.

Ambientada no Brasil, em 1992, a HQ é protagonizada por Silva, um detetive particular que é chamado para investigar um caso envolvendo a morte de uma prostituta de 19 anos. Apesar do pano de fundo ser um thriller, a trama usa o gênero para retratar as heranças do período ditatorial do país. Silva é um homem perturbado que enfrenta conflitos internos, devido ao seu passado militar. O desenvolver da história amplia a visão do leitor e, com isso, vamos entender melhor esse conflito moral.

A estrutura do mistério é crível e Gustavo consegue manter o ritmo, enquanto revela aos poucos os detalhes. No entanto, a HQ peca por se ancorar muito em outras produções do gênero, trazendo elementos narrativos pouco inovadores. Além disso, o roteiro é marcado por conveniências que só aumentam à medida que o clímax se aproxima.

As ilustrações caminham por uma linha que busca pelo realismo, embora apresente um desenho que parece mais “duro”, em certos momentos da trama. Os enquadramentos são ótimos e contribuem para uma narrativa cinematográfica, que serve completamente ao roteiro.

Rockabilly Blues te surpreende pelas reviravoltas, mas chama mais atenção pela abordagem de um tema que jamais pode ser esquecido: o que foi, de fato, a ditadura no Brasil. Gostaríamos de ver mais ousadia, evitando as conveniências da trama, mas este é, sem dúvidas, um bom quadrinho.