Publicado em

Czar Acidental – A Vida e as Mentiras de Vladimir Putin

De Box Brown e Andrew S. Weiss
272 páginas
Conrad | 2023
Tradução: Mario Luiz C. Barroso

Czar Acidental – A Vida e as Mentiras de Vladimir Putin se propõe a contar como um agente pouco proeminente da KGB se tornou o líder de uma potência mundial. Desta vez, o autor de Tetris e Cannabis, Box Brown, assume somente a arte, enquanto o roteiro desta HQ publicada pela Conrad é assinado pelo ex-consultor sobre a Rússia na Casa Branca, Andrew S. Weiss.

Weiss trabalhou para governos democratas e republicanos e usou algumas suas próprias experiências de trabalho, além de pesquisas para desmistificar o imaginário coletivo que se tem de Vladimir Putin. Para isso, ele usa uma linguagem que inicialmente conquista o leitor, traçando um perfil do presidente russo, desde a sua infância.

O roteiro não segue a linearidade dos acontecimentos e, de início, isso parece muito bem-vindo. Afinal, nada mais corriqueiro do que uma biografia linear. Mas a dose de idas ao futuro e flashbacks aos tempos da URSS, ou da Rússia czarista, afetam o livro na sua segunda metade, fazendo da trama uma mistura de eventos em tom documental, nomes em russo e situações que deveriam se entrelaçar, mas parecem apenas nos confundir.

O humor é um dos pontos de conexão entre roteiro e arte, quando as ilustrações de Box Brown parecem satirizar algum dos recordatórios de Weiss. No entanto, não são muitos os momentos em que Czar Acidental parece mesmo funcionar como um quadrinho. Talvez pela dificuldade de representação das situações narradas, muitas vezes as soluções visuais são quadros com “cabeças falantes”, ou imagens que parecem se repetir, tornando o final do livro um tanto cansativo. O recurso da alternância de cores entre os capítulos funciona bem para a arte de Box Brown, que é propositalmente pouco detalhada.

O histórico de Weiss pode esclarecer sua visão americanizada em vários trechos da obra. Por isso, é importante ter em mente que a montagem deste roteiro é, sim, influenciada pela visão de mundo de seu autor e pode soar um tanto “contaminada”.

É possível conhecer o contexto geopolítico, histórico, além de, claro, o próprio Putin. Isso só prova que Czar Acidental tinha o conteúdo perfeito para ser uma obra que explora melhor a linguagem de quadrinhos.