Publicado em

O Príncipe e a Costureira

De Jen Wang
304 páginas
DarkSide Books | 2020
Tradução: Vic Vieira 

O Príncipe e a Costureira é uma leitura gostosa e que passa voando. Mas não é por isso que deixa de ser uma HQ marcante, por abordar diversas temáticas com a leveza de um conto de fadas. Jen Wang nos apresenta uma história delicada, protagonizada pela costureira Frances e o príncipe Sebastian. Ambos vivem em Paris, no início da Era Moderna e, mesmo com o abismo social entre os dois, uma coisa os une: o amor pela moda.

Sebastian é apaixonado por vestidos e vê em Frances a possibilidade de ter peças exclusivas para usar na noite parisiense. Ela é uma das poucas que sabe o segredo do príncipe, afinal, um futuro monarca sair por aí desfilando com vestidos exuberantes e uma peruca ruiva causaria espanto no reino. Dessa parceria surge uma amizade bonita, mas que também tem seus espinhos.

Não podemos deixar de ressaltar a ousadia do roteiro de Jen Wang. Ela traz para a trama de uma forma muito natural um príncipe crossdresser. E isso é uma forma discutir o tabu também com os adolescentes, afinal, a história funciona muito bem para eles. Além da temática da identidade, o quadrinho ainda aborda relações familiares, amizade e nos parece uma ótima forma de incluir temas complexos em uma HQ relativamente simples.

Na arte tudo fica mais vivo por se tratar de adolescentes (que sempre vivem a intensidade dos momentos e das mudanças). Os traços caricatos lembram animações e podem ser facilmente adaptados em um momento futuro, na nossa visão.

Há facilitadores de roteiro e algumas situações que parecem exceder a lógica, mas, afinal, não é isso que os contos de fada são? Assim, Jen Weng consegue inserir essa aura de fantasia para falar da realidade. Um acerto preciso da Darkside Books que trouxe a obra premiada com um Eisner para o Brasil.